sexta-feira, 3 de março de 2017

A viuvez e o sentimento de desamparo


Porém ela lhes dizia: Não me chameis Noemi chamai-me Mara, porque grande amargura me tem dado o Todo poderoso (Rt, 1. 20)
.


O que levaria uma mulher a não querer ser chamada pelo seu nome “Noemi” cujo significado é agradável? E porque teria ela sugerido o nome de “Mara” que significa amargosa? A vida de Noemi não havia sido nada fácil, morava em Belém (casa de pão) quando uma grande fome assolou sua terra, aquela mulher foi obrigada a ir peregrinar nos campos de Moabe onde ficou por quase dez anos. (Rt, 1.4) Como se não bastasse estar longe de sua terra, sua parentela e seus costumes, em Moabe Noemi perdeu Elimeleque seu marido e também seus dois filhos. (Rt,1.3,5). As perdas assolaram Noemi que agora se vê numa terra estranha e desamparada. Lá em Moabe seus filhos haviam casado, e tudo o que Noemi tinha agora era muita pobreza e duas noras moabitas. Porém naqueles dias de luto e pesar Noemi soube que em Belém Deus havia mandado pão (Rt,1.6) ela não hesitou, preparou-se para o retorno e  apenas sua nora Rute resolveu acompanhá-la. O desafio era grande voltar viúva, sem filhos e com uma nora estrangeira... Não é de se admirar o que nos relata o texto “[...]entrando elas em Belém, toda cidade se comoveu por causa delas [...]” duas viúvas estavam ali para lutarem pela própria sobrevivência. Se nos dias de hoje a viuvez representa desamparo, imagine naqueles dias em que não havia pensionistas? Imagine numa sociedade patriarcal como ficava uma família quando morria o provedor da casa? Acrescente-se a isso uma mulher também ficar sem filhos que poderiam ser a fonte de renda em sua velhice. Mas Deus que sempre se revela nas horas mais escuras, resolve escrever uma nova página na vida sombria de Noemi, por meio de Rute, Deus levanta um parente próximo, o qual era dono de plantações e campos para casa-se com Rute e conseguir recuperar as terras que eram de Noemi antes dela ir para Moabe.  
O Senhor Deus dos céus que cura corações feridos começa a trabalhar trazendo restituição à vida de uma mulher que estava sentindo-se desamparada e amargosa. E como se isso não fosse muito Deus concede um neto a Noemi, a alegria foi tanta que as amigas de Noemi disseram que aquele menino seria “recriador da alma” (Rt, 4.15).
O sentimento de desamparo tem assolado muitas vidas, que em meio à tempestade não consegue ver que Deus pode e sabe fazer maravilhas.
O sentimento de desamparo tem te assolado?
Calma, confie e espere que o Deus de Israel sempre tem uma saída, ele é o único que sabe escrever uma página totalmente nova no cenário de uma vida.
Que Deus continue te ajudando!


Texto de Aparecida Borges
Pregadora do Evangelho de Cristo,
Missionária de perto de longe,
escolhida e ungida para liderar e ensinar.
Coordenadora Geral do Círculo 
de Oração da Assembleia 
em Mossoró.

Nenhum comentário:

Postar um comentário