quinta-feira, 30 de março de 2017

O que você espera fio da espada ou fio de escarlata?

"Pela fé Raabe, a meretriz, não pereceu com os incrédulos, acolhendo em paz os espias" Hb11.31
.
A história de Raabe nos traz algumas lições, de como uma mulher pode conquistar corações em sua própria família. Mesmo sendo ela taberneira, estrangeira e idólatra, Raabe deixou-se ser tocada pela fé no Deus de Israel. Ela creu sinceramente que Deus daria aquela cidade ao seu povo. Ela deu ouvidos á grandeza de Deus, foi objetiva e fez um acordo envolvendo toda sua família, num arrojado plano de livramento. Com isso demonstrou uma fé brilhante, crendo que apenas um fio de escarlata, posto na janela daria o escape esperado. Ela demonstrou liderança no meio familiar, conseguiu que toda sua família se recolhessem à sua casa nos dias da tomada de Jericó.    
Toda Jericó estava sentenciada a ser passada ao fio da espada, mas esta mulher de decisão notável conseguiu manter o acordo que tratara com os espias enviados de Josué . Qualquer que estivesse fora das portas da casa de Raabe, morreria e se aquele negócio ou seja, a visita e o acordo com os espias fossem denunciados, certamente todos pereceriam. Deveria haver sigilo absoluto acerca daquele plano.
Aquela mulher creu que Deus iria por meio de um pequeno fio, dá livramento a toda sua casa. Toda cidade morreu ao fio da espada, todavia Raabe e toda a sua família obteve o livramento prometido, esperado e alcançado. O que você espera pra sua família fio da espada ou fio de escarlata? 


Referência Bíblica
Josué, capítulos 2 e 6
Texto de Aparecida Borges
Pregadora do Evangelho de Cristo,
Missionária de perto de longe,
escolhida e ungida para liderar e ensinar.
Coordenadora Geral do Círculo 
de Oração da Assembleia 
em Mossoró.


sexta-feira, 24 de março de 2017

Os temperamentos e a Pedra

Um dia, os quatro temperamentos resolveram fazer um passeio. Nem tinham andado muito quando encontraram uma enorme pedra no meio do caminho
Colérico

O colérico removeu a pedra aos empurrões e xingou  "o mundo inteiro" chateado por causa  daquele imprevisto
Sanguíneo 

O sanguíneo, sem refletir, pulou por cima da pedra, rindo e achando aquilo muito divertido.

Fleumático

O fleumático nem deu pelotas. Sentou-se em cima da pedra, agradecendo a  Deus por lhe ter dado uma ocasião de descanso.
Melancólico
 
O melancólico parou, pensativo: "alguém novamente me pós um obstáculo no meio do caminho; estão me perseguindo" e continuou o andar todo preocupado.



Referências
Os temperamentos e a pedra. 
In Os temperamentos. Rainha especial. 
Santa Maria, RS: Editora Rainha, 1973
link dessa imagem
Lugar para as águias

sexta-feira, 17 de março de 2017

Lago da Pedra-MA



Primeira Conferência da UFADELP - União Feminina de Lago de Pedra de 10 a 12 de Março no Mega Templo da Assembleia de Deus no Maranhão, igreja presidida pelo Pastor Raimundo Francisco dos Santos. A convidada para a ministração da palavra foi a Missionária Aparecida Borges, procedente do Rio Grande do Norte. No louvor a participação de Lídia Novais e Vocal Lírio dos Vales. O tema do evento encontra-se em provérbios 11:16 que diz "A mulher graciosa guarda um tesouro de honra".  
A presença do Deus todo poderoso é suficiente para satisfazer as almas desejosas de provar do banquete espiritual de uma mesa preparada pelo nosso Senhor Jesus Cristo, porém é sempre bom contar com a presença e participação de servos como a ir. Aparecida Borges que são chamados e capacitados para ministrar a palavra  da fé, e semear a confiança no poder de Deus em cada coração. 




















  Irmã Geide, seu pai Pr. Raimundo Francisco dos Santos e a  esposa irmã Maria Belmar, juntamente com a Ir. Aparecida Borges e esposo Joatan Borges.

quarta-feira, 8 de março de 2017

Às Mulheres

Poesia de Margarete Solange .....................
Quem pode entender as mulheres?
Elas são tão complicadas,
Carentes, dengosas,
Mui amadas, maravilhosas.
Difíceis de se contentar com tão pouco.
Reclamam, principalmente com quem amam,
Mudam de estilo como o camaleão,
Mesmo na simplicidade são vaidosas,
Até as feias são charmosas,
Gostosas de abraçar,
Irresistíveis, ternas, maternas, talentosas,
Frágeis, ágeis, perigosas...
Brilhantes como o sol, bravias como o mar,
Encantam... Embora não sejam tão apreciáveis
Em todas as suas fases
Minguantes, ficam implicantes,
Depressivas, prontas para atacar,
Ou chorar por qualquer razão.
Rosas perfumadas com beleza e espinhos,
Braços para abraçar, palavras para ensinar,
Lições para guardar no fundo d’alma.
Por causa delas o mundo se comove,
E nas batalhas vencem sem usar armas mortais.
As mulheres são: de dia como sol,
De noite como lua, como o céu cheio de estrelas.
Quem pode resistir aos seus encantos?
Quem pode existir sem elas?




Fotografia: Imagem de Rafaella Rodrigues

sexta-feira, 3 de março de 2017

A viuvez e o sentimento de desamparo


Porém ela lhes dizia: Não me chameis Noemi chamai-me Mara, porque grande amargura me tem dado o Todo poderoso (Rt, 1. 20)
.


O que levaria uma mulher a não querer ser chamada pelo seu nome “Noemi” cujo significado é agradável? E porque teria ela sugerido o nome de “Mara” que significa amargosa? A vida de Noemi não havia sido nada fácil, morava em Belém (casa de pão) quando uma grande fome assolou sua terra, aquela mulher foi obrigada a ir peregrinar nos campos de Moabe onde ficou por quase dez anos. (Rt, 1.4) Como se não bastasse estar longe de sua terra, sua parentela e seus costumes, em Moabe Noemi perdeu Elimeleque seu marido e também seus dois filhos. (Rt,1.3,5). As perdas assolaram Noemi que agora se vê numa terra estranha e desamparada. Lá em Moabe seus filhos haviam casado, e tudo o que Noemi tinha agora era muita pobreza e duas noras moabitas. Porém naqueles dias de luto e pesar Noemi soube que em Belém Deus havia mandado pão (Rt,1.6) ela não hesitou, preparou-se para o retorno e  apenas sua nora Rute resolveu acompanhá-la. O desafio era grande voltar viúva, sem filhos e com uma nora estrangeira... Não é de se admirar o que nos relata o texto “[...]entrando elas em Belém, toda cidade se comoveu por causa delas [...]” duas viúvas estavam ali para lutarem pela própria sobrevivência. Se nos dias de hoje a viuvez representa desamparo, imagine naqueles dias em que não havia pensionistas? Imagine numa sociedade patriarcal como ficava uma família quando morria o provedor da casa? Acrescente-se a isso uma mulher também ficar sem filhos que poderiam ser a fonte de renda em sua velhice. Mas Deus que sempre se revela nas horas mais escuras, resolve escrever uma nova página na vida sombria de Noemi, por meio de Rute, Deus levanta um parente próximo, o qual era dono de plantações e campos para casa-se com Rute e conseguir recuperar as terras que eram de Noemi antes dela ir para Moabe.  
O Senhor Deus dos céus que cura corações feridos começa a trabalhar trazendo restituição à vida de uma mulher que estava sentindo-se desamparada e amargosa. E como se isso não fosse muito Deus concede um neto a Noemi, a alegria foi tanta que as amigas de Noemi disseram que aquele menino seria “recriador da alma” (Rt, 4.15).
O sentimento de desamparo tem assolado muitas vidas, que em meio à tempestade não consegue ver que Deus pode e sabe fazer maravilhas.
O sentimento de desamparo tem te assolado?
Calma, confie e espere que o Deus de Israel sempre tem uma saída, ele é o único que sabe escrever uma página totalmente nova no cenário de uma vida.
Que Deus continue te ajudando!


Texto de Aparecida Borges
Pregadora do Evangelho de Cristo,
Missionária de perto de longe,
escolhida e ungida para liderar e ensinar.
Coordenadora Geral do Círculo 
de Oração da Assembleia 
em Mossoró.