segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Arrependimento: A Benção do Recomeço

         “Mas Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens em todo lugar, que se arrependam” Atos 17.30.
                         
         Qual o benefício do arrependimento? Numa sociedade onde o arrependimento é visto como fraqueza. O que poderíamos aprender da grande oportunidade que o arrependimento nos traz?
         A palavra de Deus por muitas vezes menciona de forma clara e benéfica essa postura do coração humano, arrepender-se é “Sentir pesar por faltas ou erros cometidos. Mudar de parecer, mudar o rumo”. Os ninivitas tiveram uma oportunidade tremenda que eles não desperdiçaram “Mas os homens de Nínive creram em Deus, e proclamaram um jejum, e vestiram-se de panos de saco, desde o maior até ao menor” (Jn 3.5).
         Deus protesta contra a falta de arrependimento. “Ninguém há que se arrependa da sua maldade, dizendo: Que fiz eu”?(Jr 8.6) O Senhor se compromete em ajudar o arrependido no livro do profeta Jeremias. Assim diz o Senhor: “Se tu te arrependeres, eu te farei voltar e estarás diante de mim” (Jr15.19)
         O arrependimento gera conversão e cancelamento da dívida, ele é um passo restaurador. “Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham, assim, os tempos do refrigério pela presença do Senhor (At 3.19)”. O refrigério só chega onde o ato de rendição foi iniciado.
         O ato de arrepender-se evita a destruição. Isso fica claro quando o profeta Jonas leva a mensagem do juízo divino e a tomada de posição dos ninivitas em vestir-se de pano de saco e clamarem a Deus apregoando um jejum nacional onde até os animais estavam incluídos, traz a misericórdia de Deus, o texto é conclusivo quando diz: “E Deus viu as obras deles” (Jn3.7,10)
         O arrependimento nos devolve o favor de Deus. O rei de Judá, Manassés, agiu de forma pagã e idólatra num reinado em que o Senhor o havia posto, desconsiderou totalmente a palavra de Deus serviu aos baalins,construiu altares aos deuses das nações no templo de Jeová,usou de adivinhações, agouros,encantamentos e feitiçaria, a palavra o retrata de forma deplorável “E Manassés tanto fez errar a Judá e aos moradores de Jerusalém que, fizeram pior do que as nações que o Senhor tinha destruído de diante dos filhos de Israel” (II Crô 33.9) porém na terra do cativeiro após ter sido levado com cadeias Manassés reconhece seu pecado e confessa sua transgressão e o Senhor o restaura “E ele, angustiado,orou deveras ao Senhor,seu Deus, e humilhou-se muito ...e Deus ouviu sua súplica, e o tornou a trazer ao seu reino” (II Crô 33.12-13)
         Os pecadores são chamados ao arrependimento. Jesus fez questão de anunciar “Não vim chamar os justos e sim os pecadores ao arrependimento” (Lc 5.32)
         É plano de Deus que o homem se arrependa. “Ele é longânimo para convosco, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento” (II Pe 3.9)
         Por meio do arrependimento a misericórdia entra em ação, mas o que é misericórdia? É compaixão, beneficência, uma manifestação extrema de piedade. “As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos; porque as suas misericórdias não têm fim. Novas são a cada manhã; grande é a tua fidelidade” (Lm 3.22-23).
         Davi quando contou o povo de Israel e foi punido por tal pecado preferiu confiar nessa misericórdia dizendo: “Caia eu nas mãos do Senhor, porque muitíssimas são as suas misericórdias” (I Crô 21.13).
         Amado irmão onde há arrependimento genuíno, haverá um Deus fiel nos trazendo restauração. Que Deus vos abençoe!
         Em Cristo.
 







 
Texto de Aparecida Borges
Pregadora do Evangelho de Cristo,
Coordenadora Geral do Círculo de Oração da AD Mossoró


 

 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário